14 setembro, 2013

Como fazer um filme amador? – Parte 1

imageO que precisa para fazer um filme? O que utilizar? Quais os cuidados que deve ter? O que está por detrás de cada elemento constituinte do vídeo? Quais os programas que devo usar?

Se pretende resposta a estas questões, então continue a ler…..

Em 1º lugar saiba que ao criar um vídeo, este pode ser composto de diversos elementos diferentes entre si, com diferentes características técnicas, mas que uma vez integrados pode resultar num conjunto harmonioso.

Um vídeo pode incluir imagens (estáticas ou dinâmicas), clipes de vídeo e áudio. Este último elemento pode ser do tipo música, sons ou narração.

Todos estes elementos carecem de trabalho prévio, quer de melhoramentos, configurações, possíveis conversões, para além de pesquisa e análise antes de se iniciar o trabalho num editor de vídeos.

Há que ter em consideração que os elementos se devem conjugar entre si, centrados num tema específico e que se deve buscar uma harmonia entre eles de modo a conjugar o movimento das imagens ou clipes com o áudio e com os restantes componentes tais como transições e efeitos.

Atente na imagem seguinte onde cada um dos elementos segue um percurso distinto de modo a facilitar o trabalho de integração.
Elementos externos para criação dum filmeVideo
Mas antes de falarmos sobre cada um dos itens de um modo individual, iremos falar sobre o produto final os seja: O vídeo.

E porque começamos precisamente pelo fim?

A resposta é simples. Como o vídeo final é influenciado por todos os elementos que o constituem, estes influenciam o resultado final.

O que precisa de saber sobre um vídeo propriamente dito?

Primeiro saiba que um vídeo se apresenta sob a forma de um formato específico dependendo este da forma de armazenamento digital a que se destina.

Mas antes disso necessita de saber o conceito de codec. Um codec é um codificador/descodificador implementado via hardware ou software. Os dispositivos interpretam sinais digitais e, no caso dos vídeos, realizam a compressão ou descompressão dos arquivos de vídeo nos mais variados formatos.
Para que um determinado vídeo rode num determinado dispositivo necessita de um codec (ou conjunto de codecs) para que este seja reconhecido pelo dispositivo.
Os diversos formatos vídeo têm associados codecs ou conjunto de codecs, não necessariamente idênticos entre si.

Os formatos vídeos mais populares, para os amadores, são o WMV (Windows Media Video), o AVI (Audio Video Interleave, desenvolvido pela Microsoft) e o FLV (Flash Video, desenvolvido pela  Macromedia/Adobe e muito utilizado na internet).

Existem muitos outros formatos vídeo. Se pretende saber mais sobre os formatos mais populares, incluído os atrás descritos, consulte esta mensagem de Leonardo Rodrigues, com o nome “Entenda as diferenças entre os formatos de arquivos de vídeo

Outro aspecto muito importante é a relação de aspecto ou seja a relação entre a largura e a altura, que está associado ao formato de ecrãs ou telas (mas também a fotografias com veremos mais adiante) e também aos dispositivos e plataformas digitais.

Uma maneira simples e simplificadora é o de assumir alguns pressupostos.
Assim assumiremos que:

  1. A codificação da cor usada nos sistemas de transmissão televisiva na sua área de residência é o sistema PAL. Esta codificação influência o formato de dispositivos físicos bem como o seu formato. Saiba mais sobre áreas PAL na wikipédia
  2. O seu vídeo não é para ser passado no cinema mas para ser passado no Youtube, na sua TV, no seu computador (nota: se pensar outro dispositivo consulte o catálogo do mesmo)
Ficaremos resumidos a dois tipos de relação de aspecto: o 4x3 e o 16x9

Para uma melhor percepção vamos fazer um comparativo com as TV’s:

  • As velhinhas TV´s de tubos catódicos tinham um aspecto quase “quadrado”. De facto o seu aspecto de relação é de 4x3.
  • As novas TV’s de última geração têm um aspecto “rectangular”. O seu aspecto de relação é de 16x9.
Posto isto qual a diferença?

São muitas mas, basicamente, sempre que rodar um filme ou vídeo no formato 4x3 num dispositivo ou plataforma 16x9, este irá aparecer com as “famosas” barras pretas laterais.


Visualização de formatos 16x9 e 4x3 numa TV Plana


Para saber mais sobre a implicação consulte esta mensagem publicada no blog “Imagem e som de alta definição” sob o nome “Formato de Tela e Relação de Aspecto”.
Esta relação está também relacionada com a recente HDTV, plataforma que recentemente passou a ser retransmitido os sinais televisivos (16x9).

Outro aspecto ainda interligado, com os vídeos, é o dos parâmetros, indicados pelos fabricantes de televisões e outros dispositivos, FullHD e HD. O FullHD indica 1080p ou 1080pi de altura de reprodução, o que significa um dispositivo com 1920x1080 (seja largura = 1920 e altura 1080) resumindo relação de aspecto 16x9. Na mesma aproximação o HD indica 720p de altura, resultando num dispositivo que roda 1280x720 com relação de aspecto 16x9. Nota: Para saber a relação de aspecto basta dividir a largura por 16 e multiplicar por 9 para chegar a esta relação. Saiba mais nesta mensagem minha “Relação de aspecto

Resumindo, as minhas recomendações, para o seu vídeo final:
  • Formato de vídeo final: WMV ou AVI ou FLV. Em caso de dúvida escolha AVI.
  • Relação de aspecto: 16x9
  • FullHD (1920x1080) ou HD (1280x720)
Existem ainda alguns aspectos relacionados com codecs e quadros por segundo (frames per second) mas estes dependem do editor de vídeo e das suas potencialidades, que falaremos mais adiante. Por agora saiba que a vista humana possa “ver” movimento, correctamente, processa ao redor de 25 quadros por segundo.

Depois desta, muito genérica, aproximação ao vídeo final, é a altura de começarmos a falar nos elementos individuais.

Comecemos pelas fotos e imagens.....
Criar filme - Parte 2
Criar filme - Sumário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...