23 novembro, 2009

Windows Movie Maker (WMM) que futuro?

O Windows Movie Maker (WMM) é, apesar dos seus problemas de consistência, reconhecido como um dos editores de vídeo mais completos que existem, permitindo aos potenciais "produtores" de filmes caseiros trabalharam todas as vertentes da sua elaboração.
Desde o seu aparecimento até aos dias de hoje o WMM criou à sua volta um inúmero de adeptos que sob as mais diversas formas manifestam-se da mais variada forma quer na produção de vídeos, blogues de entreajuda, etc, etc.
Ainda hoje é dos programas que mais descarregamentos (downloads) se faz nos mais diversos sites ou blogues dedicados a esta area.
É reconhecido pelos especialistas como um produto problemático, sobretudo quando colapsa no meio de uma actividade, mas também é reconhecido pelos milhões de adeptos que o utilizam.
A Microsoft criou um produto que ultrapassou as suas expectativas e têm ao longo dos últimos anos feito a tentativa de o transformar de acordo com as suas (que não as dos utilizadores) pretensões.
De um ponto de vista histórico o WMM aparece, em 2000, na sua primeira versão (1.0) com o Windows ME seguindo-se em 2001 a Versão 1.1 com o Windows XP, em 2002 versão 2.0 para Windows XP, em 2004 a versão 2.1 para Windows XP SP", em 2004 a versão 2.5 para o Windows XP Media Center Edition 2005 e em 2006 a versão 2.6 para o Windows Vista.
O Movie Maker 1.0 foi muito criticado na altura por ser uma estrutura tipo " esqueleto" e apresentar "uma lamentável falta de recursos" sobretudo a arquivação de filmes somente em ficheiros do tipo "Microsoft ASF". Já as versões 2.0 e 2.6 tiveram uma critica muito mais positivas apesar de haver diferenças entre elas.
Por exemplo as versões 2.x incluídas no Windows XP inclui 60 transições, 37 efeitos, 34 títulos e 9 animações de títulos (créditos). A versão do Windows Vista inclui um conjunto diferente de transições, efeitos e animações títulos (créditos) ao deixar cair uma alguns dos mais velhos. Ao todo são 49 efeitos e 63 transições.
A versão do Windows Vista suporta Direct3D efeitos de base. A Microsoft também fornece SDK documentação para efeitos personalizados e transições.
Nesta versão a possibilidade de gravação directa em DVD está presente.

Com o recente lançamento do Windows 7 toda esta evolução desaparece. O WMM desaparece e em seu lugar irá aparecer um produto chamado Windows Live Movie Maker.
Algumas aplicações que foram incluídas em lançamentos anteriores do Windows, como Calendário Windows, Windows Mail, Windows Movie Maker e Windows Photo Gallery não serão incluídos no Windows 7; alguns serão oferecidos separadamente como parte gratuito do Windows Live Essentials com a perda de algumas funcionalidades.

O Windows Live Movie Maker (WLMM) terá pois de ser descarregado separadamente no Windows Live Essentials. O WLMM só funciona no Vista ou 7 (não funciona no XP).
Este programa é um aplicação completamente nova (ainda em desenvolvimento) e nada tem a ver com o anterior. A linha do tempo desaparece e não usa Direct3D nos efeitos e transições. Segundo os seus autores este será um produto com funcionalidades "user frindly" que permitirá com poucos cliques produzir o seu filme. Ou seja os automatismos estarão lá para "facilitar" a vida a quem o utiliza mas seguramente o "produtor" deixará de controlar a elaboração do seu filme (pelo menos em algumas das funcionalidades).
Em resumo (e como alguém já disse): Fiz um filme com o WLMM mas não sei como. É capaz de me explicar como é que o fiz?

Provavelmente será possível aos novos utilizadores do windows 7 a utilização do WMM versão 2.6 (do Vista) e que já funcionou em versão teste do 7 (beta) mas só o futuro próximo o dirá.
A Microsoft afirmou que o Windows 7 terá plena compatibilidade com drivers e aplicações. Portanto, não se reproduzirão as incompatibilidades e problemas que aconteceram ao se usarem programas que funcionavam com perfeição no Windows XP e não funcionaram no Windows Vista.
Por outro lado a Microsoft revelou também que o Windows 7 (versões Professional, Enterprise e Ultimate apenas) terá o Windows XP "embutido", na forma de um modo virtual, similar ao ambiente Classic, do Mac OS X, disponível como download separado.

Enquanto decorrem estas evoluções algumas questões se colocam:

  1. Mesmo que o WMM (versão 2.6) funcione no windows 7 que tipo de suporte irá ter? Será que lhe vai acontecer o mesmo que a versão anterior que funcionava no XP? ou seja "Zero"
  2. A citada compatibilidade de programas que funcionavam no XP a funcionar no 7 será efectiva ou "virtual"?
  3. Como será a interligação como outras novas funcionalidades do "pacote" Windows Live Essentials? Seremos obrigados a usar somente programas MS (Microsoft) para que eles funcionem? Não nos podemos esquecer da "quase imposição" do Internet Explorer.
  4. ultima questão: Windows Movie Maker (WMM) que futuro?

23 de Novembro de 2009

José Venãncio

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...